terça-feira, abril 11

Banco Alimentar



Agência: FCB
Produto: Banco Alimentar contra a fome
Meio: Secadores de casa-de-banho

26 comentários:

Anônimo disse...

Muito boa ideia. Parabéns à FCB . Afinal merecream as bandeiras.
Continuem.

Anônimo disse...

Bem legal.

jwt disse...

tá chegar cannes, começam os fantasminhas que não vendem nada.

jwt disse...

tá chegar cannes, começam os fantasminhas que não vendem nada.

jwt disse...

tá chegar cannes, começam os fantasminhas que não vendem nada.

jwt disse...

tá chegar cannes, começam os fantasminhas que não vendem nada.

Anônimo disse...

Mas não esta a mesma ideia um bocadinho mais abaixo? Pelo menos a da Bates é de um cliente com produto (e até acho que é um cliente deles).

Anônimo disse...

Só para esclarecer qualquer dúvida que os bloguistas mais viperinos possam ter. O trabalho para o banco alimentar já tem cerca de 5 meses. Eu sei, porque na altura, ainda estava na FCB.

De qq forma é um conceito diferente do da bates, que também tem os seus méritos.

Edie Falco disse...

É a segunda peça nessa página com publicidade na casa de banho (secador de mãos). É digno de estudo a descoberta do secador de mãos como "media alternativa"... será que algum idiota acredita mesmo na eficácia dos suportes em casa de banho, um sítio pouco agradável de onde, à excepção da lá de casa, todos nos queremos por a sete pés, o quanto antes?
É uma media "criativosa"... ainda não vi nada para este suporte ganhar qualquer merda em Cannes.

Anônimo disse...

só pergunto qual é a pertinência?
estender as mãos para uma máquina que tem a imagem de umas estendidas. Poi....fraquinho.

Anônimo disse...

conordo aqui com o meu homónimo anónimo de cima. ela por ela, mil vezes a da Bates.

Anônimo disse...

esta acção é muito melhor que a postada aqui anteriormente. além de boa utilização da mídia, a peça é criativa e com certeza quem a viu (que não seja publicitário), sentiu na pele a mensagem.
parabéns aos criativos.
se não ganhar cannes, ganhou um monte de doações.

Anônimo disse...

Não se enerve amigo...
vai receber um monte de doações porquê? Há porta de cada WC está um(a) voluntário(a) com um mealheiro do peditório???

jwt disse...

Cannes???? Vocês são todos drogados.

m. disse...

estes comentários são sempre a mesma coisa: a minha pilinha é maior que a tua! que importa cannes, que importa se o suporte é o mesmo, que importa se é da agência A ou da B?!?!? não vos entendo. eu gostaria de ser copy. estou a trabalhar num porfólio. mas não sei se quero trabalhar com gente assim.

jwt disse...

boa decisão. já há copys a mais.

Anônimo disse...

Ah, ah, ah, ah, ah

Edie Falco

Anônimo disse...

Cannes? CCP e e...

Anônimo disse...

edie o teu pai é dentista?

Anônimo disse...

respondendo ao anonimo que não sabe como a peça vai garantir doações:
amigo, as pessoas que adentram casas de banho onde estão instaladas essa mídia com certeza nunca estenderam a mão desta forma para pedir comida, mas estão acostumados a fazê-lo para secar as mãos. A peça remete ao gesto que é de higiene e limpeza, para o receptor da mensagem, mas de fome para àqueles que necessitam ajuda. Na peça há o que chamamos packshot, indicando como o cidadão consciente e que se sensibilizou com a propaganda pode ajudar alguém que passa fome. Talvez você não conheça a realidade de quem passa fome, assim como a maioria dos europeus, mas ao ver esta peça, você poderá sentir, mesmo que por uma fração de segundo, o que uma pessoa com fome sente ao estender a mão para pedir comida. Se a pessoa se sensibilizar, entra em contato com o Banco Alimentar Contra a Fome e faz sua doação.

Anônimo disse...

completando o texto acima:
conhecer a sociedade e o mundo em que vivemos fora de nossos muros e de nossa realidade pífia é de suma importância para o bom desenvolvimento da comunicação. Gestos simples podem ter significados muito diferentes dependendo da realidade em que você vive. Se a pessoa pensar, no mínimo: "Ufa, ainda bem que sou português e não passo fome, só estendo a mão para secá-la depois de comer muito bem num restaurante caro". Já é uma vitória. Afinal, concorde pelo menos com uma coisa: os europeus não sabem o que é fome. E mostrar isso a eles é uma excelente forma de sensibilizar, você não acha?

Anônimo disse...

SALVÈ ALELUIA!
JESUS È O SENHOR!

Anônimo disse...

Eu próprio não diria melhor. Subscrevo.

Edie Falco disse...

Nunca li tanta treta, pieguice, mentira e falsidade de um publicitário a querer defender a peça de um amigo... ou a sua própria. Nem eu nos meus mais longínquos dias de principiante e estagiário chato e metediço, cheguei a tanto.
Aliás, lá no Brasil aprendi logo que defender o indefensável era feio. Uma questão de estética/ética.

Um Pai revoltado com a carreira do filho disse...

edie falco, sinto lhe decepcionar, mas não sou publicitário, sou psicólogo e sociólogo. E não conheço quem fez a tal peça. Entrei neste blog por acaso: meu filho é publicitário (estudante ainda) e vez por outra confronta os ideais publicitários com meus conhecimentos de sociologia e psicologia. Resolvi enviar comentários para ver a quantas anda a cabeça das pessoas responsáveis pela manutenção e crescimento da nossa sociedade de consumo de massa. Afinal, que tipo de pessoas fazem este papel fundamental para o mundo? Depois de ver reações como a sua e de ler outros comentários aqui postados, aconselhei meu filho a desistir desta carreira. Não quero que ele se misture com pessoas de baixo nível de civilização e educação. Inclusive vi o comentário de um estudante de publicidade português dizendo exatamente isso, que pensa em desistir desta carreira ao ver tais comentários absurdos. Felicidade e paz para você meu jovem.

Anônimo disse...

pensava que este blog era para criticar/comentar anùncios...e não pessoas ou agências...