quinta-feira, agosto 3

Super Bock


Super Bock
Vídeo enviado por oportfolio


Cliente - Unicer
Produto - Super Bock Cool / Sagres Surf Fest 30"
Agência - Strat
Director Criativo - José Carlos Campos
Art Director - Rui Fazenda
Copywriter - Marco Pulido
Serviço a Clientes: Fátima Angélico/Andrew Warrell/Ingrid Moreira
Produtora - Tangerina Azul
Realizador - Sérgio Henriques
Estúdio de Som - Som de Lisboa.

35 comentários:

Brazuca disse...

nada para colocar na pasta, mas resolve bem o briefing (creio).

só não entendi porque a primeira frase ou palavra da placa não aparecia... imaginei que ali tinha alguma sacada fenomenal e fiquei ansioso e feliz, depois frustrado, aliás, acredito que quem assiste fica curioso em saber o que tem escrito de tão ruim que ninguém parou e a TV ainda censurou.
frustra um pouco ficar sem saber, ou não?
ah, quase esqueço: fotografia muito boa, direção também.

Anônimo disse...

Descobri! O que está lá escrito é SAGRES! Boa sacada...

Anônimo disse...

O que diz lá é SAGRES. Está lindo

Anônimo disse...

Jogada de génio. A Super Bock a fazer o que a Sagres devia ter feito há décadas: "apadrinhar" a vila com o mesmo nome.

Anônimo disse...

novamente o brazuca a falar parvoíces sobre os bons spots que aqui aparecem... tira-me do sério ver um trainee - só um trainee não entenderia que não é preciso entender o que estava escrito porque obviamente é sagres - a ficar mandando bitates equivocados sobre o trabalho dos outros... já agora, o filme é muito bom. parabéns.

Anônimo disse...

desconheço as leis de trânsito em Portugal, mas em vários países desenvolvidos é proibido levar pessoas no espaço onde deveria ter apenas carga, inclusive com multas altíssimas para o infrator que o fizer.
é inclusive proibida, em países desenvolvidos, a veiculação de imagens na TV que incentivem ou mesmo mostrem atitudes ilegais como esta.
o filme é legal, mas este furo o deixa errôneo e, de certa forma, anti-social.
tantos esforços são feitos em Portugal para diminuir acidentes de viação, campanhas e mais campanhas de impacto, educativas, tudo para tirar dos lusos o título de país com mais acidentes de viação da Europa.
este filme, infelizmente, vai contra tudo isso.
e por isso, merece nota zero.

Anônimo disse...

epa, cala-te!

Olho vivo disse...

Descubram as diferenças entre o último editorial do Sr. Dir. da Briefing e este artigo online: http://www.cincodias.com/articulo/empresas/internautas/inundan/red/Mentos/Coca-Cola/cdssec/20060725cdscdiemp_24/Tes/

o crítico disse...

brazuca, tem juizo se isto é boa fotografia é porque acabaste de aterrar em Lisboa.
Infelizmente a publicidade é vitima destas coisas, parece que é moda agora toda a gente fazer estes telecinemas completamente deslavados como se a película já estivesse completamente fora de prazo, isto e os carros antigos já enjoa, já para não falar nos castings...... gostei da realização mais do que da ideia.

Anônimo disse...

Desculpem lá: então os gajos (Unicer) têm tomates para fazer um anúncio destes, mas já n têm tomates para mostrar q está lá escrito Sagres??? Não percebo nada disto, mas tem o seu quê de absurdo, não?

"ai não, não queremos atacar directamente a concorrência...é melhor não mostrar...lá, lá, lá..."

Cá para mim, alguém no topo da pirãmide conheceu este filme só no online ou na bobina de emissão e mandou tirar o King Kong do filme...

Mas, aos q tiveram a ideia, parabéns

Anônimo disse...

TIRARAM O KING KONG! ESTE PAIS NAO EVOLUI NUNCA. MUITO PARABENS AOS CRIATIVOS. E ESTE NAO É PICADO DE CERTEZA!!!!!!!!!

Brazuca disse...

gente, não sou do vosso mercado, algumas peculiaridades me são desconhecidas, por isso não tinha como supor o que poderia estar escrito ali, já que ver realmente não é possível.

já agora, que entendi o pormenor local: parabéns aos criativos, excelente trabalho.

a direção de fotografia me agrada, se não agrada a outros, paciência.

Anônimo disse...

Ideia: Muito Boa, se pudessemos ler "SAGRES" na placa;
Realizaçao: Boa;
Fotografia: Má (boé de visto);
Casting: Bom (tb qq gajo boa pinta servia!!);
D.Arte: Razoavel (boé de visto, carros antigos, carrinhas);
Cliente: Mau (comprou uma IDEIA e nao teve tintins para aprova-la).
JA HOUVE TEMPOS...

Anônimo disse...

Era porreiro que lá escrito tivesse mesmo Sagres sem ser pixelado.
Ou pelo menos Sagres / Algarve. É pena porque poderia ser muito engraçado, mas que eu saiba tomates não é coisa que abunde lá pela UNICER, e já agora também no resto do País Marketeiro.
Mas gosteei do look do filme! Já agora quem fez?

bidarra disse...

não é do gonçalinho? então não gosto...

Sr Cliente Unicer disse...

Eu acho q a placa devia dizer:
"Aquela terra algarvia com nome de cerveja"

VERGONHOSO disse...

GRANDE PLÁGIO!!! É QUE O QUE É! AINDA POR CIMA O DIRECTOR DA BRIEFING NÃO PEGA NO ARTIGO ESPANHOL E CONSTROI UM EDITORIAL A PARTIR DELE, ELE PURA E SIMPLESMENTE FAZ UM COPY-PASTE-TRADUÇÃO ... E JÁ ESTÁ. INCRÍVEL.

Descubra as diferenças disse...

"Basta con introducir cuatro o cinco caramelos Mentos en una botella de Coca-Cola de dos litros para conseguir, sin agitar ni nada, un espectacular géiser de refresco de unos dos metros de alto?, Cinco Dias
"Basta introduzir meia dúzia de pastilhas Mentos numa garrafa de um litro e meio de Coca-Cola para provocar um espectacular géiser de dois metros de altura", Rui Camarinha.
"si responde a una reacción química o es un hecho puramente físico. El caso es que actualmente existen cerca de 2.000 vídeos colgados en páginas de internet como Youtube o Google Vídeo en los que distintas personas experimentan y juegan con este curioso cóctel", Cinco Dias
"(...) se estamos perante uma reacção química ou um efeito puramente físico, mas a verdade é que existem mais de 2 mil filmes no YouTube e no Google, onde os consumidores se divertem com este cocktail original." , Rui Camarinha

...

Anônimo disse...

LOL

olho vivo disse...

ou muito me engano ou o filme foi corrigido na cor, a versão que passa agora na TV está bastante melhor, já agora deviam fazer o mesmo ao filme do Expresso, a uma campanha rídicula de um produto que se chama Zapp e outros tantos que andam por ai. Nem sempre fazer diferente é sinónimo de qualidade. Já agora como as campanhas da Super Bock é cheia de trocadilhos (que já enjoam ao fim de tantos anos) podiam trocar no filme o "Beba com moderação" por "Transporte com moderação". lololol

Anônimo disse...

insisto: levar pessoas na parte da carga é proibido e perigoso.

Anônimo disse...

Este anúncio é um disparate completo. Então a SuperBock foi arranjar maneira de ter de dizer, na sua publicidade, o nome da cerveja concorrente? Quanto terá custado à Superbock os segundos em que a palavra "Sagres" é pronunciada?
Então não há um marketeiro de jeito na Strat para impedir um absurdo desses? O Jorge Marques costumava ser mais atento.
Acho esse anúncio um atentado ao bom marketing.
(O Mestre)

O crítico disse...

Mestre és anormal ou quê, não vás por ai esse argumento não tem pés nem cabeça é mesmo só dizer mal por dizer.

Anônimo disse...

Fogo, será que mais ninguém vê essa evidência??
(O Mestre)

Anônimo disse...

o que o mestre falou tem pertinência, ainda mais pelo fato do cliente ter sido covarde ao ponto de não veicular o nome 'sagres' na placa, aí sim, não importa dizer o nome do concorrente, pois ele estaria 'pra baixo' no filme.
mas a 'proteção' e a covardia neste caso e a obrigação de repetir o nome do concorrente faz o filme ficar apenas legalzinho.
sabe-se lá o que isso vai repercutir no inconsciente do target...
uns pensarão e lembrarão da sagres positivamente?
outros pensarão: "ora, a sagres nunca fez coisa parecida pela terra que vos deu o nome, ponto pra superbock"
é, mensurar isto é difícil.
ainda gosto do trabalho, deois de muito o ver e depois dos comentários até a gafe citada pelo anônimo das 11:00PM me incomoda.

Anônimo disse...

Meu caro anonymous: o "target" não racionaliza assim tanto quanto vc pensa. Eu, que sou bebedor de Sagres (acho que a Superbock sabe a rabo, como disse a outra no DN), quando vejo aquele anúncio e ouço o nome Sagres, só me vêm a cabeça o seguinte pensamento: "ê pá, com este calor, uma Sagres agora é que era...". Levanto-me, deixo a Tv a falar sozinha, vou no frigorífico e saco de uma Sagres... Ponham uma coisa na cabeça, o consumidor "não acha giro" nada, ele que é ver o filme e torce para terminar o intervalo... não é com ideias imbecis como a deste anúncio que, decididamente, se vai vender mais Superbock a dizer o nome "Sagres toda hora""... foda-se, será que ninguém vê isso? Ainda não despediram o imbecil que inventou a estratégia dessa campanha? Só mesmo um atrasado mental para lembrar de fazer um festival Superbock em Sagres... e o pior é que se deve estar a armar em grande estratega, a achar que descobriu a pólvora...
(O Mestre)

Anônimo disse...

(Continuação)... isso por acaso só faz o consumidor lembrar que sagres até é nome de um lugar, por quê? Tem passado, tradição, raízes, é Portugal, é a selecção nacional. Não existe uma cidade Superbock, pois "superbock" não é nada, é um sabão, uma marca, nada.
Eu quando vi o anúncio na TV só me fez relectir acerca do estágio atrasado e ingénuo em que se encontra o marketing e a publicidade em Portugal... em qualquer país do mundo os gajos que fizeram essa merda (que deve ter sido ideia do cliente) seriam todos despedidos... mas faltou o aconselhamento da agência... é o que eu digo, em outros tempos o Jorge Marques não permitiria isso...
(O Mestre)

Anônimo disse...

(continuação) ... e só vou lembrar mais uma lei básica da comunicação... "LÍDER NÃO ATACA, DEFENDE-SE". Por que cargas d'águas tinha a Superbock de tentar se apropriar do território simbólico da 2ª colocada? Por quê? A troco de quê? Meu Deus, o que é que ensinam nas escolas de marketing portuguesas? Por acaso andam todos a dormir ou o quê? Essa ingenuidade angustia um gajo.
(O Mestre)

Anônimo disse...

Está um outdoor à entrada de Sagres que diz: 'Bem-vindo a Super Bock'. Se não está deveria estar.

Este anúncio está brilhante para o briefing que teve. E pensem lá um bocadinho...o anúncio teria alguma piada (ou interesse) se na placa aparecesse Sagres?!

Parabéns a agência e ao cliente tb.

Brazuca disse...

ainda acho muito bom o trabalho, a idéia e a realização.
se foi contra alguma regra de marketing, tanto melhor.
criativo tem mais é que quebrar regras mesmo e desafiar o mundo ao conquistar o consumidor.
mais uma vez parabéns.

Anônimo disse...

Acontece que quando quebrar a regra significa beneficiar o concorrente, de uma forma gritante, não é ser desafiador, é ser burro, estúpido mesmo, que é o caso da estratégia desta acção. Nem tenho nada contra o anúncio, vá lá, os desgraçados da agência foram obrigados a dar seguimento a uma imbecilidade. Sou contra a ideia da Superbock fazer um festival de música em... Sagres!!! Porra, só de voltar a falar nisso me dá nervoso. Foda-se, como é possível...
(O Mestre)

Brazuca disse...

Sr. Mestre, essa regra de "não se pode falar o nome do concorrente em sua comunicação" é coisa do século passado MESMO. Mas entendo sua preocupação, vou citar um exemplo para esclarecer o momento atual e moderno:

A Ford Brasil iniciou uma campanha corajosíssima por aqui. Ela convida os consumidores a irem a uma concessionária Ford e fazer um test-drive no Novo Ford Fiesta e, PASMEM, diz que, se você quiser, faz ainda o mesmo test-drive nos carros concorrentes da mesma categoria. Eles MOSTRAM os modelos concorrentes.
O resultado: as concessionárias Ford estão LOTADAS TODOS OS DIAS. Tem mais detalhes, veja:

http://blog.lowebrasil.com.br/

é o primeiro post/filme intitulado "Apostando alto".

Anônimo disse...

Mas Brazuca, o seu exemplo não procede. Nada contra propaganda concorrencial, em que vc cita o nome do concorrente para COMPARAR com o seu produto, logicamente, de alguma forma, depreciando o seu concorrente. isso tem a ver com o exemplo que vc deu.
MAS FALAR GRATUITAMENTE do concorrente, sem se POSICIONAR em relação ao concorrente, GRATUITAMENTE CITANDO O CONCORRENTE E COM ISSO DANDO LITERALMENTE RECALL PARA A MARCA CONCORRENTE, isso para mim é uma alarvidade, uma estupidez, uma burrice.
(O Mestre)

publicidade para tótós disse...

É mau.

brazuca disse...

está bem, Mestre, está bem.
detalhes mercadológicos são relevantes e cada caso é um caso.