sexta-feira, novembro 3

RTP Memória











Agência: BrandiaCentral
Anunciante: RTP
Produto: Rtp Memória
Meio: Imprensa
Direcção Criativa - Marco Dias
Supervisão Criativa - Tomás Mayer
Director de Arte - Ricardo Marques
Copywriter - Márcio Martins
Dir. contas - Alexandra Lobato Faria
Executivo de contas - Tiago Dinis
Planeamento estratégico - Nicolas Grassi
Produtor agência - Ana Romano

20 comentários:

Engº Sousa Veloso disse...

Boa tarde caros tele-espectadores,
Eu gosto desta campanha. Até agora só tinha visto os filmes, mas tb gosto das imprensas.
No entanto, o tom da campanha dá-me um certo ar de campanha pro-bono, de recolha de fundos, de causa social...
Do género: "não deixe que as boas recordações se apaguem. Faça lá o favorzinho de sintonizar este canal 10 minutos por dia." É tristonho.
O produto RTP Memória é bom e é muitas vezes divertido. Tem piada reviver os programas do Julio Isidro com enchumaços no blazer, o Eládio Clímaco a relatar uns emocionantes Jogos sem Fronteiras, um Tirsense x Estrela da Amadora de 91, etc...
Por isso tenho pena que a campanha não tenha ido por aí. Pelo lado mais positivo da coisa. Para que se veja a RTP Memória porque apetece e não para fazer um favorzinho...

ricardo monteiro disse...

muito bom, muuuuiito bom!!!

ricardo marques disse...

dass!! q grande ideia!!

Anônimo disse...

nao gosto...nao tem sal

brazuca disse...

concordo plenamente com o primeiro comentário.

Nicolau disse...

Eu gosto de mim, perdão da campanha.

Anônimo disse...

Demasiado fácil na minha opinião! Mas não está mal. Uma no cravo e outra na Ferradura.

sic disse...

fraco!

paulo disse...

Malta, a ideia é boa, mas já foi feita. Foi a Cannes este ano e está no site do festival. A original é a para um produto que elimina odores. Usa imagens com o mesmo tratamento (cinza claro sobre branco) só que são alimentos. Uma pena.

Zé disse...

Não me surpreende esse plágio. Basta pensar que o Marco Dias esteve na BBDO alguns tempos. Foi o suficiente para aprender a picar. Enfim...

Luis disse...

Concordo. Novo, só se for cá. E sim, a ideia que passa é um pouco lamechas, de quem implora mais do que convida. Falta arrojo.

curioso disse...

ó paulo, fui ao site e nao encontrei nada. não podias ser mais preciso em dizer onde está a camapanha. obrigado

Anônimo disse...

o 1º comentario diz tudo. a camapanha não está má não senhor, mas se fosse por outro caminho...

Anônimo disse...

Culpa do briefing...

palmeida disse...

Já existe. cannes 2006.

Anônimo disse...

Eu vi os putos lá em cannes nos intervalos dos jovens criativos a verem a shortlist de caneta e caderno na mão...este é o primeiro "pico".

Anônimo disse...

Bom. Para a RTP. Para portfolio, nem por isso.

dias disse...

ha ha ha. isso é muito bom. ha ha ha

Anônimo disse...

Ponto 1:
A ideia é boa, prova disso é que foi shortlist em Cannes.

Ponto 2:
Essa é também a crítica que lhe podemos apontar. Os miudos tiveram azar, alguém fez primeiro.

meg disse...

Assusta pensar na RTP memoria como algo desbotado, ultrapassado, e, mais do que qualquer outra coisa, assusta ver esta campanha e pensar que: 1º estamos a ligar para a RTP memória como quem vai a uma pagina da net que nao queremos que acabe, cada visita, ajuda a que a pagina sobreviva;
2º Coloca o espectador num universo tao longinquo que parece que o que la se passa é demasiado mau para ser visitado a nao ser que lhe peçam "Nao deixe que as boas recordações se apaguem...
3º O espólio da RTP será, concerteza, um dos melhores da Europa, uma vez que os seus arquivos nao estiveram sujeitos às desgraças de guerras, como aconteceu na maior parte da Europa, seria interessante que às imagens de arquivo e aos programas em reposição transmitissem, não um saudosismo tipo...isto está tudo morto...mas uma dinâmica que tantos outros canais incutem e transmitem quando repõem programas antigos. Veja-se o canal História, não nos sentimos num funeral quando vemos as suas apresentações noutros canais. O lema é bem diferente e muito mais interessante...A RTP também está a fazer a sua história no canal memória e, até hoje, nunca pareceu tao sensaborão como agora o apresentam...