sexta-feira, maio 4

CGD



Agência: Y&R Red Cell
Cliente: Caixa G.D.
Produto: Crédiformação
DC: Judite Mota / Pedro Ferreira
Copy: Judite Mota
DA: Pedro Ferreira
RTV: Gabriela Nogueira
Produtora: Ministério dos Filmes
Realização: Miguel Coimbra
DOP: Carlos Lopes
Pós-produção Video: Ingreme
Pós-produção Audio: Indigo

11 comentários:

Anônimo disse...

Pa variar, não é nova. Jogadores de Futebol Americano (neste caso Rugby) já foram usados para fazer a mma coisa mas para eficiencia no trabalho, como é o caso de um tal Terry Tate numa campanha da Reebok. Mesmos planos e "tackles". Mas parabéns à CGD por apelar à violencia.....:p

Anônimo disse...

rubgy é apelar á violencia???nao sejas provinciano. Faz umas pesquisas na net e ve o que o rugby pode fazer por mts marcas!sem apelar á violencia. E pelo contrário,apelar a valores que fazem parte do conceito deste desporto. mas isso não se explica, sente-se quem jogou, joga ou gosta.

António Maria disse...

Ora lá está. Mas a malta não recebe as últimas shots? Cheiram a mofo, as coisas que se vêem por aqui. Esta coisa dos tackles (ou barramentos) já enjoa.E já agora, o Marco Martins podia emprestar os holofotes dele ao Coimbra, não? O rapaz tá sempre a filmar às escuras e a deslavar o telecinema...

Gimboe disse...

Antes de ler este primeiro comentário, a mesma ideia. Isto não foi já feito? De outra forma, mas com a mesmíssima ideia? (Grande Terry Tate!) De qualquer forma, está fixe. Mas fica aquele gostinho amargo na boca...

Anônimo disse...

Que comentário idiota. Apelar a violência??, realmente neste país não pode haver nada bem feito que aparece sempre um comentário de algum iluminado.
Parabéns a young e ao miguel coimbra por não fazerem igual ao que todos andam a fazer, e sobretudo à caixa pela coragem de não fazer filmes tipo Millenium.

Anônimo disse...

Gosto.
AF

Tate Modern disse...

A ideia "Terry Tate" à portuguesa, bom, palavras para quê...
Salva-se a realização.
Bem boa, por sinal.

Anônimo disse...

foi só poupar na iluminação, ver passar o filme na televisão é uma tristeza

leonardo disse...

até nem acho que a iluminação esteja má. como disse o anónimo antes de mim. pode até ser uma opção estética do realizador ou do director de arte.
há imensos filmes que recorrem a esta estética esverdeada e escurecida. mas as opiniões são como as va... Quem as tem dá-las hehehehe. tou a brincar. quero apenas dizer que apesar de não concordar com o comentário o respeito

Anônimo disse...

"Bora lá todos fazer filmes dignos de grand prix com um cliente da banca portuguesa."
O que é que há de errado com esta frase?
Todos sabemos, não é?
Então vamos lá dar a mão à palmatória e reconhecer que se trata de um anúncio bem porreiro que foge ao cinzentismo dos Millenium, BPI e afins e, mais importante, à recente paragem cerebral do BES.

Anônimo disse...

para quem quiser ver de onde picaram esta ideia:
"http://youtube.com/watch?v=MRkiouh5NEI"

Já foi feito, logo não é bom