sexta-feira, março 7

Toshiba





Agência By
Cliente Toshiba
Director de Arte Pedro Rosa
Redactor Alex D'Arte
Executiva de contas Maria Ferreira
Fotografia Krypton Photo

15 comentários:

Anônimo disse...

mas...os computadores são assim tão maus que apetece deitar fora?

Anônimo disse...

podes sempre ler texto...

Anônimo disse...

Será o espirito do tuga? já que temos acesso a outro caso este se estragar, vamos partir tudo...so para nos darem outro? mtoooo mau

Anônimo disse...

Fazer pior pela marca
é dificil.

Anônimo disse...

A ideia até é boa, mas a produção é um bocadinho para o miserável. Parece que a mãozinha foi colocada em pós-produção sobre uma foto cliche de um qualquer getty. A Kripton sabe fazer melhor.

Osvaldo disse...

ehehehe divertido. Não o PC é tão "nojento" de bom que até apetece...

Eu que ando àprocura de um lap novo vou espreitar estes Toshibas e verificar se realmente são assim tão bons.

Anônimo disse...

Tchiiii, que viagem. Não dá pra pôr o produto assim. Não dá mesmo.

Anônimo disse...

Péssima ideia. Muito má direcção de arte.

Anônimo disse...

Notoriedade traz. Isso não há dúvida...

Anônimo disse...

É resistente, é isso?

Sylvio disse...

Muito fraco! A resposta é apenas uma: "Não, não dá vontade nenhuma de fazer isso".

Anônimo disse...

Que campanha tão fraquinha... Isto saiu para as ruas?! Pff.

Dá vontade de partir um laptop, que para muitos é significado de muito trabalho e largos meses de trabalho e vencimentos?

Dá vontade de dizer, onde é que a Toshiba estava com a "cabeça", quando aceitou este trabalho criativo.

Anônimo disse...

Eu acho arrojado. Cliente e agência estão de parabéns. É deste abanões que o mercado precisa para ver se deixamos de fazer sempre o politicamente correcto...

Anônimo disse...

É sem dúvida um bom exemplo de má comunicação. Vários tiros no pé, no da agência, no dos criativos, no do cliente e no da marca. Mostrar um Toshiba a ser destruído num anúncio para a Toshiba já é mau, dizer "Dá vontade, não dá?" ainda é pior. A mensagem que fica, de imediato, é que o produto não presta, porque o Bodycopy não chega para evidenciar a promessa. E destruir um computador nunca será algo de positivo, aliás, quando isso acontece, é sempre um drama por variadíssimas razões. Má ideia, péssima execução. Oportunidade falhada. Muito mau.

Anônimo disse...

www.toshibanaoavaria.com